Tudo que é pé de conversa tem o seu dedo de prosa!

Este recanto tem a obra dos maiores Poetas do mundo!

sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

UM ANO NOVO PAI DÉGUA! Autor: Merlânio Maia




UM ANO NOVO PAI DÉGUA!
Merlânio Maia

Desejo um ano porreta
Deus lhe dê o que quiser
Peleja, trabalho, treta,
Os carim duma mulher
Desarrede o negativo
Abufele o positivo
Tenha o horizonte por régua
Num tenha medo da vida
Tenha o céu como medida
E um sucesso sem trégua!

Macho véi, felicidade,
É pra se pegar de unha
Num aceite a falsidade
Que é lá que a maldade acunha
Num se agonie no camim
Nem permita o farnizim
Num esmoreça, seje macho!
Corra o mundo, ande légua
E até na baixa da égua
Que o buraco é mais embaixo!

Vá anotano os seus querê
Tudo o que você deseje
Dipendure onde se vê
Leia pra que num fraqueje!
Seja um cão chupano manga
Teja de terno ou de tanga
Nunca espere vá buscar
Persistência atrai sucesso
Que vai fazer seu progresso
Quando menos se esperar

No amor num se arrelie
Nem só fique arrodiano
Num bata fofo, se avie
Se avexe e faça um bom plano
Mas fique limpo na nota
Num pegue qualquer marmota
Nem viva de fulerage
Cachorro é quem pega peba
Num viva de mistureba
Nas grota da vadiage

Amor é uma corralinda
Mas num seje um farofêro
Num peça pinico ainda
Seja o galo no terrêro
Pastore que a hora chega
Gata gosta é de mantêga
Dê seu bote devagar
Mas dêxe as unhas de fora
Que o seu cabresto se tóra
Antes do ovo gorar!

Comece esse novo ano
Sem os erros do passado
Chô mundiça, esse é o seu plano!
Chame a sorte pro seu lado
Muche as orêia e rebole
No mato tudo que é mole!
Grite do alto do nordeste
- Eu sou herdeiro de Deus
Os terém dEle, são meus
Oxente, cabra da peste!

Agora sim, que tás forte,
Seje feliz dicumforça!
Nosso Sinhô sendo o norte
Brinque, dance, grite e torça
Nada há de lhe derrubar
Comece logo a sonhar
Com a Paz e nunca dê trégua
O seu poeta ainda diz:
CABRA VÉI, SEJE FELIZ,
E UM ANO NOVO PAI DÉGUA!