Tudo que é pé de conversa tem o seu dedo de prosa!

Este recanto tem a obra dos maiores Poetas do mundo!

quarta-feira, 27 de julho de 2011

HOMEM FRACO NÃO AGÜENTA PROVOCAÇÃO DE VIZINHA!


HOMEM FRACO NÃO AGÜENTA
PROVOCAÇÃO DE VIZINHA
Autor: Daudeth Bandeira

Com a Bíblia e um rosário
Procurei um reverendo
E fui logo lhe dizendo:
- Escuta aqui seu vigário
A um confessionário
Há muito tempo eu não vinha
Porque motivo não tinha
Mas hoje um me atormenta
Homem fraco não agüenta
Provocação de vizinha

Eu não bebo, não namoro
Também não tenho complexo
Mas, porém, filme de sexo,
Me perdoe padre, eu adoro
E lá na rua em que eu moro
Mora uma comadre minha
De juízo de galinha
E a traseira de jumenta
Homem fraco não agüenta
Provocação de vizinha

No Altar da Santa Madre
Não nego os pecados meus
Seu padre, eu pensava em Deus
Agora é só na comadre
Precisa de ver, seu padre
Como é que ela caminha
E no banco da pracinha
Como é que ela se senta
Homem fraco não agüenta
Provocação de vizinha

A mulher é tão faceira
Que quando chega da praia
Tira a blusa, tira a saia
E se escorna numa cadeira
Uma perna em Mangabeira
Outra lá em Camboinha
E é nessa brincadeirinha
Que o caboclo se arrebenta
Homem fraco não agüenta
Provocação de vizinha

Entre as casas minha e dela
Há uma meia parede
Igual a um touro com sede
Eu olhava ontem pra ela
Ela chegou na janela
Esticou uma cordinha
E estendeu uma calcinha
Roçando na minha venta
Homem fraco não agüenta
Provocação de vizinha

O padre aí perguntou:
- E ela tem as pernas grossas?
- Dão três ou quatro das nossas,
Seu Vigário, já pensou?!
A tez é de um bibelô
Nunca nasceu uma espinha
Todos desejam a boquinha
Dos seus lábios de polenta
Homem fraco não agüenta
Provocação de vizinha

O padre fez um sorriso
E falou com água na boca:
- Vou confessar essa louca
E vou com ela ao paraíso
Diga a ela que eu preciso
Falar com ela à noitinha
Ela me espere sozinha
Que eu chego as doze e quarenta
Homem fraco não agüenta
Provocação de vizinha

E você, seu deletério,
Seu maníaco, seu tarado,
Vá rezar ajoelhado
No portão do cemitério
Pra cada santo um mistério
E uma salve rainha
E a cada ladainha
Acenda uma vela benta
Que depois você agüenta
Provocação de vizinha!