Tudo que é pé de conversa tem o seu dedo de prosa!

Este recanto tem a obra dos maiores Poetas do mundo!

segunda-feira, 21 de agosto de 2017

MERLANIO MAIA NO TEATRO SANTA ISABEL EM RECIFE PE

MOMENTO DO SHOW NO TEATRO SANTA ISABEL EM RECIFE/PE.
O violeiro Cristiano Oliveira e o poeta Merlânio Maia

O Poeta e o Violeiro






DIALETO NORDESTINÊS

DIALETO NORDESTINÊS
(Autor: Merlânio Maia)


Quem já foi no meu Sertão
E ouviu um falar maneiro
Viu de perto o dialeto
Nordestinês verdadeiro
A fala é canto e beleza
E imprime em nós a grandeza
Para além de certo e errado
Falamos nordestinês
E eu vou mostrar pra vocês
Cada significado

ANTONCE lá é então
Competente é ARROMBADO
“MÓI DE GENTE” multidão
Lá festa é TARRABUFADO
Confusão REBUCETÊI
“Dê a volta” é ARRUDÊI
Cabeça é CÔCO e CAXAÇO
E o poderoso é GRAÚDO
ESTRIBADO É dinheirudo
E DINHEIRUDO é ricaço

“AVIA, PESTE!” é vai logo!
LISO é cabra sem tostão
Coisa ruim lá é AGÔRO
E AZÁ é confusão
Povo fêi é TRIBUFÚ
CATREVAGE, CAFUÇÚ,
Banco lá é TAMBORETE
Mal-estar é FARNIZIM
E caquiado é PANTIM
PANTIM, manha e cacoete!

TOITIÇO lá é CANGOTE
E CANGOTE lá é nuca
Jarra d’água lá é POTE
TITELA lá é CAVUCA
Os olhos lá se diz ZÓIO
Quantidade lá é MÓIO
Lá XODÓ se diz XAMEGO
XAMEGO lá é namoro
Petulância é DISAFÔRO
PEDIR PINICO é arrego

OXENTE é OXENTE, OXENTE!
OXI é o seu diminutivo
É interjeição potente
TUBIBA é moleque ativo
PRESEPADA é MUNGANGAGE
SAFADAGE e VADIAGE
DAR NO PIRA é ir-se embora
Lá quem DEU FÉ viu e olhou
Quem INCAICÔ apertou
Se ESCAFEDEU, deu o fora

Se BATEU A SIPITICA
FINÔ-SE, FOI DE PÉJUNTO
BATEU PREXECA e XAMPRÔ
Tudo refere a defunto
Menino lá é BOCHUDO
Adolescente é TALUDO
MUÍDO é reclamação
FUXICO É CURRIXIADO
O feio é DESCONCERTADO
Sogra é a IMAGE DO CÃO

Gravidez lá é AMOJO
RAME-RAME indecisão
COTÔCO lá é pedaço
PIPOCO ali é EXPLOSÃO
Lá não tem Gay, lá tem FRESCO
TRUÇÚI é cabra grotesco
TRIATO é BUTÁ BUNECO
BUTÁ BUNECO é escândalo
QUEBRA-PAU por lá é Vândalo
BUDEGA é Bar e Boteco

CHAMBOQUE é tirar pedaço
INTURIDO é entalado
GALALAU  é gente alta
MUNDIÇA é mal educado
CANGAIÁ é cornear
SOCAR lá é enfiar
Lá CACHETE é comprimido
SIRICUTICO é desmaio
Conversa longa é EMPAIO
SOBEJO é resto comido

ENCAFIFADO é intrigado
CANGUÊRO é mal motorista
BAFO DE ONÇA, mau hálito
DAR NO PAU, pagar à vista
DE VENETA é inconstante
INFITETE é meliante
MARRA DE HOMI, homem forte
CURIÁ, ATUCAIÁ
E ATUCAIÁ é espiar
CAIPORA é cabra sem sorte

CAIXA PREGO é bem distante
Lá PEITICA é insistência
VÉA CORÓCA é idosa
Sem nada de paciência
FUÁ é cabelo armado
Lá FOLOTE é afrouxado
ATARENTADO é perdido
ESBAFORIDA é cansada
PORRETA é gente ARRETADA
E ISPIXADO é bem comprido

SEBOSO é sujo e nojento
FUBENTO é cor desbotada
BOCADO é MÓI e é muito
GAIATO é gente engraçada
PINOTE é pulo e é salto
MANÉ BESTA é leso e incauto
Lá Topada é TRUPICÃO
MIXURUCA é sem valor
GALO VÉI conquistador
E VISAGE assombração

DÁ BILÔRA e PASSAMENTO
PUZUMENO, CARITÓ,
RISPOSTÔ, DIZINXABIDO,
CAXEXÊRA, MATRICÓ,
CUM ROSCÓFE E PECENÊIS
E eu passaria um mês
Só pra dar a dimensão
De um dialeto à altura
Orgulho em nossa cultura
Nossa língua é bela e pura
Pura NORDESTINAÇÃO!

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

ASSIM É O PAI VERDADEIRO

Autor: Merlânio Maia

Pais que a própria Natureza
Levou à paternidade
Mães que são Pais com certeza,
Pais novos, pais novidades
Deus é Pai! Falou Jesus
Que o Pai provê e traz luz
Que canta e encanta e dá calor
Pai cantador do terreiro
Assim é o Pai verdadeiro
Que o Pai é a face do amor

Eu falo do Pai presente
Presente que Deus nos deu
Que na gravidez se sente
Já Pai com o rebento seu
Que chora e ri com seu filho
E o ajuda a ter seu brilho
Como amigo e protetor
Que faz da vida um celeiro
Assim é o Pai verdadeiro
Que o Pai é a face do amor

Que estimula cada passo
No brincar, falar e andar
O ensina a viver no mundo
A crescer, se libertar
Dá segurança e exemplo
E faz do seu lar um templo
Tornando-se o servidor
De olhar doce, olhar certeiro
Assim é o Pai verdadeiro
Que o Pai é a face do amor

Que se vê no filho e filha
Aconselha e orienta
Mas liberta o seu rebento
Educa, ampara e alenta
E o ensina a se portar
Ensina a amar, respeitar
Quando o filho sente dor
Chora e sofre companheiro
Assim é o Pai verdadeiro
Que o Pai é a face do amor

Ensina os olhos de ver
Os ouvidos de ouvir
E ajuda o filho a crescer
Amadurece a seguir
Ao morrer deixa o legado
De que a vida é aprendizado
E que a morte é o criador
Ensinando o tempo inteiro
Que somos só passageiros
Assim é o Pai verdadeiro
Que o Pai é a face do amor
Merlanio Maia

Poema em homenagem aos Pais verdadeiros, sejam do universo homo-afetivo, os avós, os tios, todos que assumem a função de equilíbrio emocional e segurança paternal. São Pais maravilhosos! Sintam-se homenageados!