Tudo que é pé de conversa tem o seu dedo de prosa!

Este recanto tem a obra dos maiores Poetas do mundo!

domingo, 8 de maio de 2011

A LENDA DA MÃE


 

A LENDA DA MÃE
Merlânio Maia



Mãe é tesouro sagrado

Que Deus botou nesse mundo
Fulgor dos céus oriundo
Trazido ao lodo da Terra
Toda mãe tem uma linha
Direta com o Criador
              Pois só ternura e amor
              O seu coração encerra


Dizem até que quando o homem
Criou-se das mãos de Deus
Ao ver os caminhos seus
Escutava do Divino:
- Pra Terra te enviarei
Muito frágil chegarás
Mas lá iniciarás
As lutas do teu destino





Derramarás muito choro
Pisarás pedra e espinho
Duro será teu caminho
Na busca da perfeição
Porém lá não estarás só
Antes mandarei alguém
Será teu Anjo do bem
A te dar o coração





E eis que te receberá
Enfrentando a própria morte
Um Anjo amoroso e forte
Pra toda necessidade
Seu seio há de te nutrir
Te fará andar, falar,
Sonhar e te preparar
Para ter felicidade





Fará todo sacrifício
Pra que tenhas segurança
Viverá da esperança
Será a tua guarida
Meu caminho ensinará
Velando em noite inteira
Sobre tua cabeceira
Pra te ver feliz na vida





E o homem encorajado
Logo indagou ao Senhor:
- Oh! Meu Deus, meu Criador
E quem tanto amor encerra,
Que Anjo será por mim?
E assim falou-lhe o Senhor
- Seu nome aqui é AMOR
Pra ti será MÃE na TERRA!

4 comentários:

blogger:poesia poo... disse...

Minha vida no sertão
Letra e música do poeta
Raimundo Nonato da Silva

Eu nasci no pé de serra
Nas quebradas do sertão
Numa pequena casinha
Ali no sitio pinhão
E meu pedaço de terra
Mora no meu coração

Bebi água de cacimba
Andei montado em jumento
Aprende assoviar
Pra poder chamar o vento
Engenho e carro de boi
Eu não esqueço um momento

Naquele tempo no sitio
Inda não tinha energia
Somente a lua de noite
E o sol durante ao dia
Mas a noite era enfeitada
Com seresta e cantoria

Hoje no sitio é diferente
Acabou-se a tradição
Ninguém conta mais historia
Nas debulhas de feijão
Não tem quem veja um paiol
De milho ou de algodão

Bem distante da cidade
Lá eu não achava ruim
Se acaso eu adoecesse
O meu pai fazia assim
Tirava as folhas do mato
Pra mãe fazer chá pra min
















O boi de cultivador
Cortou terra no monturo
Longe da poluição
Eu respirava o ar puro
Sem temer as armas químicas
Que ameaçam o futuro

Sou do tempo da panela
De barro e do candeeiro
Fogão a lenha e jirau
O pilão e o chiqueiro
E o pavilhão que vovô
Fez pra dançar no terreiro

Da casa dos meus avós
Lembro-me cheio de amor
E a sombra da oiticica
Por cima do bebedor
Onde eu brinquei com meus primos
E compus cações de amor

Eu mas meu pai cantei muitas
Cações ao claro da lua
Mas nos deixamos o sitio
Para residir na rua
E a saudade do campo
No meu peito continua

Carregar água em galão
Eu acho bom e bonito
Sei pescar e sei caçar
Mesmo com jeito esquisito
Eu conheço caçoar
Cambão, cangalha, e cambito

blogger:blog do pup... disse...

Dicionário matuto
Literatura de cordel
Autor poeta
Raimundo Nonato da Silva

No dicionário matuto
Porque se pruquê
Anos se chama forico
E você é vos mecê
Alpargata e zapragata
E K substitui Q

No dicionário Matuto
Recordação é sardade
E faculdade pra muitos
Também é faculidade
E dificuldade é
Também dificulidade

No dicionário matuto
O privado é inturido
Mal cheiroso é catinguento
E gemer é alarido
Besta é acabrunhado
Quem fala muito é sabido

No dicionário matuto
Também se chama tobem
Gafanhoto e cafanhoto
E alguém se chama argúem
Rapto se chama rapito
E fiofó é sedem

No dicionário matuto
Porco é poico e você tu
Porca é poica e pum é peido
Polenta se chama angu
Ovo se chama conhão
Corvo se chama urubu

No dicionário matuto
Viche quer dizer ou oxente
Rubacão baião de dois
Na língua de muita gente
No glossário nordestino
O vocábulo é diferente









No dicionário matuto
Puta é rapariga ou quenga
Fôlego para um é forgo
Briga pra outro é arenga
Mulher brava e jararaca
E mulher manca é molenga

No vocabulário matuto
Rede se chama tipóia
Dor de barriga escorréncia
Conjunto vit dordóia
E cuscuz é pão de milho
E bijuteria é jóia

No dicionário matuto
Todo namoro é xodó
Homem da roça é caipira
Festa dançante é forró
Axila é sovaco
E canela é mocotó

No dicionário matuto
O linguajar vale a pena
Quem não chama de molesta
Chama de gota serena
Diarréia é caganeira
Nanica é mulher pequena

No dicionário matuto
Mulher malfeita é pamonha
Todo cabra opinioso
Chama vergonha veigonha
Se um cabra brigar com outro
Alguém diz assim acunha

No dicionário matuto
Cavalo ruim é pangaré
Cão ruim é vira lata
E cabra besta é Mané
Fazer cocô é cagar
Entendeu como é que é





No dicionário matuto
Sonho ruim é pesadelo
Mulher bonita e bem feita
É chamada de modelo
E gorda feia e mal feita
É chamada de escandelo

No dicionário matuto
Informática é infomatica
Quem vai chamar matemática
Chama de matematica
Até quem aprendeu certo
Não sabe como é que fica

Gases para um é bufa
E para outro é um vento
O homem bruto é cavalo
O homem burro é jumento
Cientifico e coloquial
Eu tenho gongecimento

No dicionário matuto
Que eu tenho escrevi do
Pêssego tem sido pessego
Tudo é mal compreendido
Se for rico é margnata
Pobre de mais é fodido

blogger:blog do pup... disse...

é só um pouco do cordel dicionário matuto eu escrevo muitos cordeis e canro sou re pentista

blogger:blog do pup... disse...

http://www.youtube.com/watch?v=g1HymNUm1zc um tributo a Isabela